Recessão é escola para consumidor, que está mais consciente na hora de gastar


O brasileiro está aprendendo a economizar e a se planejar financeiramente, apesar de ser na dor. Os últimos anos – marcados primeiramente por uma oferta gigantesca de crédito, principalmente para a classe C, seguidos da recessão de 2015, com índices de inadimplência e taxa de desemprego em ascensão – foram uma verdadeira escola para o consumidor. O Instituto GEOC, que reúne 16 das principais empresas de cobrança do Brasil, foi às ruas conversar com a população e encontrou cidadãos mais maduros do que em anos anteriores.

As grandes soluções saem das crises e com o consumidor não é diferente. Durante a pesquisa, boa parte dos entrevistados revelou soluções caseiras que estão ajudando, como sentar com a família, explicar o momento e economizar o máximo possível juntos. Existe a consciência de que a regularização das contas será a longo prazo, mas não dava para continuar consumindo desenfreadamente, revelaram os entrevistados.

Para que 2016 comece com o pé direito, o Dr. Débito – portal do Instituto GEOC de cunho social que ajuda as pessoas a regularizarem suas dívidas e consumirem com mais consciência – traz algumas dicas:

CONTROLE

1. Anote todas as receitas e despesas diariamente, através de uma planilha ou caderno com todos os gastos, onde devem constar até mesmo baladas, lanchinhos, gorjetas, etc;

2. Pague as contas em dia, evitando as multas e os juros;

3. Mude seus hábitos de consumo: descubra e reduza os excessos de despesas e também elimine as despesas supérfluas;

4. Pequenos gastos e despesas podem ser os responsáveis pelo desequilíbrio;

5. Antes de fazer novas dívidas, quite as que já possui.

COMPORTAMENTO

1. Antes de comprar pergunte a si mesmo: Desejo ou necessito? Se for um desejo, espere um pouco, economize primeiro;

2. Evite fazer compras quando estiver estressado, cansado ou com fome;

3. Nunca gaste mais do que ganha, porém, nunca comprometa 100% da sua renda;

4. Habitue-se a pesquisar preços e faça as contas antes de comprar bens, principalmente os de alto valor, que podem desequilibrar seu orçamento a médio e longo prazo;

5. Peça sempre descontos nas compras;

6. Seja o mais objetivo possível na hora de comprar: faça uma lista com os itens que precisa antes de comprá-los, seja no supermercado ou no shopping.

PLANEJAMENTO

1. Estabeleça prioridades, estabeleça limites de gastos, estabeleça metas de poupança, planeje as compras;

2. Destine parte de seus rendimentos (de 10 a 20%) para começar a poupar, sempre atrelando essa poupança a um sonho ou objetivo;

3. Lembre-se: as emergências acontecem e assim que estiver preparado, procure os credores e renegocie as dívidas;

4. Evite entrar no limite do cheque especial e (ou) pagar a parcela mínima do cartão de crédito;

5. Verifique a possibilidade de adquirir um crédito pessoal, com taxas menores, para quitar os débitos. Assim, você coloca sua vida financeira em ordem e evita pagar juros abusivos.

 

Deixe uma resposta