Caixa aumenta o financiamento para a compra de imóvel usado


Objetivo é tentar aquecer o mercado imobiliário. Vale apenas para imóveis usados financiados com dinheiro da poupança.

A Caixa Econômica Federal anunciou novidades no financiamento de imóveis. O objetivo é tentar aquecer o mercado imobiliário.

O que tem de apartamento a venda por aí… E com tantos avisos espalhados, dá pra ver que o mercado não anda nada fácil, mas o anúncio feito na terça-feira (8) pela Caixa Econômica Federal pode reanimar o setor imobiliário.

O limite de financiamento para a compra de um imóvel usado aumentou. Antes, os trabalhadores do setor privado podiam financiar até 80% do valor do imóvel, mas ainda no ano passado, o percentual caiu para 50%. Agora, a partir de 24 de março, o limite de financiamento vai subir para 70%.

Para funcionários do setor público, o limite que era de 90%, passou para 60% em 2015 e agora sobe agora para 80%. O prazo máximo de financiamento com recursos da poupança é de 30 anos e a taxa de juros varia entre 9,3% e 11,5% ao ano.

Quem tem FGTS poderá financiar 85% do valor de imóveis novos e usados até R$ 750 mil. Para essa modalidade, chamada de pró-cotista, as taxas de juros ficam entre 7,85% e 8,85% ao ano.

A Caixa Econômica Federal detém 70% de todos os financiamentos de imóveis do país. A mudança divulgada traz um fôlego para o setor, mas vale apenas para imóveis usados financiados com o dinheiro da poupança.

As linhas de crédito são para imóveis que custam até R$ 750 mil em Minas Gerais, no Rio de Janeiro, em São Paulo e no Distrito Federal e até R$ 650 mil nos demais estados.

Para o economista Luís Roberto Cunha, medidas para reaquecer o mercado são bem-vindas, mas a resposta do consumidor pode não ser tão rápida.

“Para você tomar um financiamento por 8, 10 ou 15 anos, você tem que ter confiança no futuro, na sua capacidade de estar empregado, ou seja, esse é o grande problema no Brasil. As pessoas não têm confiança no futuro, infelizmente”.

Deixe uma resposta