Bradesco e Itaú lideram ranking de marcas mais valiosas da América Latina


Bradesco e Itaú são as marcas mais valiosas da América Latina, segundo o ranking BrandZ para a América Latina, produzido pela empresa de pesquisa Kantar com o grupo WPP. O relatório apresenta diversos setores da indústria, desde empresas de energia e assistência médica a provedores de comunicações e companhias aéreas, e inclui marcas de seis países latino-americanos: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru.

As duas empresas brasileiras cresceram 35%, se comparadas ao ano anterior. O valor da marca Bradesco chega a US$9,5 bilhões. A do Itaú, US$8,4 bilhões. A cerveja Corona, que vale US$ 7.529 bilhões, completa o ranking.

Segundo analistas das empresas, os investimentos em transformação digital têm sido cruciais para as companhias, com “modelos de negócio inovadores, incluindo soluções multicanais, plataformas online e mobile e sistemas de pagamento digital.

“O Brasil lidera o ranking com dois de seus bancos ocupando as duas posições mais altas; as marcas brasileiras também cresceram 21% e representaram 40% do valor geral. Assim como os bancos, varejo e cosméticos foram os grandes vencedores, embora todas as marcas enfrentem o desafio de como aumentar a percepção de diferenciação e relevância pelo cliente”, declara Eduardo Tomiya, gerente executivo para América Latina da divisão de consultoria da Kantar.

Os especialistas da BrandZ destacam que a marcas que querem ter uma marca forte e ser conhecidas no mercado precisam inovar, ter um relacionamento forte com o seu consumidor, apostar em tecnologia e ter transparência nos gastos públicos e um profundo senso genuíno de propósito. Isso requer também que as marcas estejam dispostas a aceitar uma posição sobre assuntos atuais como por exemplo: saúde mental, sustentabilidade, transparência, empoderamento ou diversidade.

O setor de destaque do estudo foi o varejo: 11 varejistas figuram no top 50 das marcas mais valiosas da região. Confira as 10 primeiras no ranking (em milhões de dólares):

 

Fonte: UOL e AAA Inovação