Banco Central diz que avanços no combate à inflação não são suficientes


O Comitê de Política Monetária do Banco Central entende que os avanços alcançados no combate à inflação ainda não são suficientes. A afirmação está na ata do Copom divulgada nesta quinta-feira, que traz mais alguns detalhes sobre a reunião da semana passada que elevou em 0,5 ponto percentual a taxa de juros Selic.

Novamente, a autoridade monetária vê persistência na inflação. No entanto, acredita no fortalecimento do cenário de encaminhamento da inflação para o centro da meta, que é 4,5%, no fim de 2016. IPCA divulgado ontem apontou inflação acumulada de 8,47% em 12 meses.

O documento também apontou o aumento da projeção para os preços administrados, que têm sido as principais pressões sobre a inflação nos últimos meses:

“Para o conjunto de preços administrados por contrato e monitorados, projeta-se variação de 12,7% em 2015, ante 11,8% considerados na reunião do Copom de abril. Entre outros fatores, essa projeção considera hipótese de variação de 9,1% no preço da gasolina e de 3,0% no preço do gás de bujão; de -4,4% nas tarifas de telefonia fixa; e de 41,0% nos preços da energia elétrica.”

A Selic está em 13,75% ao ano. A nova reunião começa em 28 de julho e, no dia seguinte, sai o anúncio sobre o rumo da taxa de juros.

Deixe uma resposta