Think Data lança solução para checagem de contas do FGTS


O foco da nova solução de consulta ao FGTS  da Think Data é identificar a existência de contas ativas e inativas, permitindo às empresas de cobrança melhorarem suas estratégias de acionamento e de recuperação de crédito.

No final do mês de julho, o governo anunciou a liberação de saques ao FGTS, limitando ao valor de até R$ 500,00 para cada conta ativa ou inativa vinculada ao trabalhador – com essa ação, esperasse uma injeção de R$ 28 bilhões na economia, o que beneficiará aproximadamente 96 milhões de pessoas.

Mas o que as empresas podem estar pensando é qual o impacto deste valor liberado pelo governo do FGTS para os seus resultados? Então vamos aos números: do total de 63,4 milhões de pessoas inadimplentes, aproximadamente 23 milhões possuem dívidas de no máximo R$ 500,00, e outros 10 milhões de pessoas, possuem pendências entre R$ 501 e R$ 1.000 –  considerando que o brasileiro possuí em média 2,2 contas ativas / inativas no FGTS, e que 51% destes possuem dívidas similares aos valores liberados pelo governo, podemos concluir que os impactos serão extremamente positivos para a cobrança, principalmente para financeiras especializadas no atendimento às classes C, D e E (cujo ticket médio é menor).

Diante deste cenário, a Think Data, bureau de informações referência no segmento de crédito e cobrança no Brasil, desenvolveu uma solução única para auxiliar bancos e assessorias de cobrança na identificação das pessoas com contas ativas e/o inativas passíveis de recebimento do FGTS. Disponível para consulta via web, troca de arquivos ou integrado aos principais motores de crédito do mercado, (web service), a plataforma informa a probabilidade de existência (ou não) de uma conta de FGTS associada ao devedor, indicando inclusive a expectativa de data para recebimento dos valores, que se iniciarão no próximo dia 13/09 (para clientes com conta poupança na Caixa Econômica Federal) e 18/10 para correntistas de outros bancos.

Na liberação de contas inativas do FGTS realizadas pelo governo Temer em 2017, era possível se realizar as consultas de elegibilidade diretamente através de um sistema disponibilizado pela Caixa Econômica Federal – agora, essa plataforma não está mais acessível. Diante disso, a Think Data desenvolveu um modelo estatístico que avalia todo o histórico profissional existente em seus Big Datas, assim como todas as transições de carreira realizadas a fim de determinar com acuracidade a probabilidade de existência de contas.

A ideia é que de posse dessa informação – juntamente com o retorno de telefones e e-mails atualizados destes devedores, as operações de cobrança consigam melhorar suas estratégias de acionamento (e argumentação), refletindo diretamente no aumento (efetivo) da recuperação de crédito.

Para conhecer gratuitamente a solução de identificação de contas do FGTS da Think Data, acesse: https://www.thinkdata.com.br/teste-gratuito/

Deixe uma resposta