Taxa de juros no cartão de crédito salta em junho para 447% ao ano


A taxa média de juros cobrada no cartão de crédito saltou em junho para 447,44% ao ano, ainda no maior patamar desde outubro de 1995, segundo levantamento da Anefac (Associação Nacional dos Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade) divulgado nesta quinta-feira (7). Já os juros mensais foram de 15,22%.

Em maio, a taxa média era de 441,76% ao ano (15,12% ao mês).

O cenário de alta de inadimplência provocada pelo desemprego crescente, aumento de impostos e inflação persistente se mantém como principal fator de pressão para a elevação dos juros em junho, afirma Miguel José Ribeiro de Oliveira, diretor da Anefac.

“O futuro ainda é um pouco incerto, se levarmos em conta o cenário econômico atual, que aumenta o risco de elevação dos índices de inadimplência”, ressalta. Para ele, a tendência é de que as taxas de juros das operações de crédito voltem a ser elevadas nos próximos meses.

“Agora, como existe a expectativa de que o Banco Central possa vir a reduzir a taxa básica de juros (Selic), nos próximos meses, esse fato pode igualmente contribuir para a redução das taxas de juros das operações de crédito”, diz.

A previsão é que a inadimplência só recue a partir de 2018. Antes, esperava-se que os calotes começassem a diminuir no ano que vem. Atualmente, cerca de 60 milhões de pessoas estão com o nome sujo no país, de acordo com dados da empresa de informações financeiras Serasa Experian.

No cheque especial, os juros passaram de 270,82% em maio para 286,27% em junho, nível mais elevado desde abril de 1999. Ao mês, a taxa foi elevada de 11,54% para 11,92%.

Os juros médios para pessoa física subiram para 8,06% em junho, o maior patamar desde setembro de 2003.

Das seis linhas de crédito pesquisadas pela Anefac, cinco tiveram aumentos nos juros em junho. Apenas financiamento de veículos registrou queda.

PESSOA JURÍDICA

Os juros médios cobrados de empresas registraram alta em junho, passando para 4,63% ao mês (ou 72,14% ao ano).

As três linhas de crédito analisadas tiveram juros maiores.

No capital de giro, os juros subiram de 2,69% ao mês em maio para 2,70% em junho.

Já a taxa de desconto de duplicatas avançou para 3,15% ao mês. A conta garantida passou de 8,03% ao mês em maio para 8,05% ao mês em junho.

Deixe uma resposta