Seis em cada dez consumidores virtuais já compraram por impulso na internet


 Anúncios de ofertas em sites potencializam compras desnecessárias, diz SPC Brasil. Consumidores virtuais de roupas são mais sensíveis aos anúncios

 Quem leva a fama é o shopping center, mas a internet também é um ambiente propício para as compras impulsivas. Segundo um levantamento realizado com internautas de todas as capitais brasileiras pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pelo portal de educação financeira Meu Bolso Feliz, seis em cada dez (58%) consumidores virtuais já realizaram alguma compra online não planejada. Esse comportamento é mais comum entre os consumidores com idade entre 18 e 25 anos (61%), pertencentes às classes A e B (63%) e com pós-graduação (70%).

Para o educador financeiro do portal ‘Meu Bolso Feliz, José Vignoli, o apelo da propaganda por e-mail, blogs ou redes sociais é o fator preponderante para a grande a maioria das compras realizadas por impulso em sites de e-commerce. “Uma oferta considerada imperdível, ainda que seja de um produto não necessário, representa uma oportunidade para os consumidores e provavelmente um estratégia eficaz por parte dos varejistas virtuais”, explica Vignoli.

 Roupas geram mais atratividade

As roupas lideram o ranking de produtos que mais seduzem os internautas nas ofertas virtuais. Entre os consumidores virtuais de vestuário, 40% afirmam que o principal motivo para compra foram as “ofertas com preços imperdíveis”. O percentual surge com mais força entre a parcela masculina de entrevistados (46%). Em segundo lugar aparecem os acessórios de moda, como cintos e bolsas, com 32% de citações (38% entre os homens). Outros itens em que as ofertas “imperdíveis” se destacam como principal motivo da compra não planejada foram os calçados (31%), DVDs e CDs (31%), eletrônicos (30%), cosméticos e perfumes (29%), brinquedos (29%) e comida delivery (28%).

 Propagandas personalizadas

Como no ambiente virtual o consumidor está menos envolvido sensorialmente com os produtos do que em lojas físicas – as quais proporcionam ao comprador a possibilidade de tocar, experimentar e sentir – os e-commerces usam algumas estratégias para seduzir o internauta. A principal delas é o ‘remarketing’, que nada mais são do que aqueles anúncios personalizados que mostram apenas produtos que realmente interessam ao usuário. O reconhecimento dos assuntos de interesse e gostos dos internautas é feito por meio das configurações do navegador, que indicam que o consumidor já entrou em determinada página e pode, potencialmente, se interessar por uma oferta de produto.

“Sem dúvida que a praticidade, a agilidade e a segurança de se adquirir o produto desejado em apenas um click contribui consideravelmente para as compras impulsivas em lojas virtuais”, comenta a economista-chefe do SPC Brasil, Marcela Kawauti. Ela orienta que o internauta deve utilizar a internet ao seu favor, aproveitando a ferramenta para comparar preços e características de produtos em diferentes sites.

Deixe uma resposta