Pequenos negócios no Brasil recorrem às fintechs em busca de crédito


Fintechs de crédito vêm ocupando espaço no mercado como alternativa ao sistema tradicional

Nos últimos anos, com o crescimento do desemprego, os empreendedores por necessidade tornaram-se numerosos. No Brasil, de acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), há 6,4 milhões de pequenos negócios. Eles consistem nas micro e pequenas empresas (MPEs) e nos microempreendedores individuais (MEIs).

Ocorre como característica em comum dos microempreendedores, a inexistência de garantias, especialmente as reais, como imóveis, para oferecer em troca de empréstimos e financiamentos. De acordo com o presidente da ABCD (Associação Brasileira de Crédito Digital), Rafael Pereira, os micro e pequenos negócios estão insatisfeitos com as linhas de crédito disponíveis no mercado. Ainda hoje, não são raras as empresas que usam o cheque especial e o rotativo do cartão de crédito, que possuem juros abusivos, para cobrir despesas do dia a dia.

Nesse cenário, as fintechs de crédito vêm ocupando espaço no mercado como alternativa ao sistema tradicional. O trabalho é bem-sucedido porque a capacidade de tomar crédito de cada pequeno e médio empresário é analisada de forma individual com o auxílio da tecnologia. Algumas associadas da ABCD registram por dia mais de 1,5 mil solicitações de pessoas jurídicas em busca de crédito mais barato, rápido e com atendimento sob medida.

Há fintechs que, além de oferecer o empréstimo solicitado, fornecem uma espécie de consultoria sobre o negócio e dá dicas ao tomador do crédito sobre como, por exemplo, administrar o fluxo de caixa, utilizando para isso um relatório de saúde financeira. “As taxas mais atrativas, que podem ser até 70% menores do que as oferecidas pelas instituições financeiras tradicionais, a liberação rápida do crédito, muitas vezes, no mesmo dia, e o perfil colaborativo das fintechs explicam sua ascensão”, afirma Pereira.

O empreendedor, ao recorrer ao crédito, tem quatro necessidades principais: compra de estoque para datas especiais – e de maior movimento – como Natal, Dia dos Pais e Dia das Mães; expansão física do negócio; compra de equipamentos e capital de giro.

Existem modalidades de crédito diferentes do empréstimo. Uma delas é a antecipação de recebíveis, também oferecida pelas fintechs de crédito, que consiste na possibilidade de o empreendedor transferir o crédito a ser recebido para uma fintech por meio da cessão de uma duplicata. Ao fazer isso, o empresário é remunerado pela fintech antes do prazo de vencimento do título. Ele não precisa, portanto, aguardar o vencimento da duplicata, que pode levar de 30 a 90 dias, para receber o dinheiro.

Nessa transação, a fintech faz o desconto de uma parte do valor como custo da operação de antecipar o crédito. As instituições financeiras tradicionais costumam exigir produtos atrelados à antecipação de recebíveis, como abertura de conta e dinheiro investido. Nas fintechs, não há qualquer exigência.

 

Deixe uma resposta