Dados são essenciais para a inovação


A Serasa Experian tem usado a própria expertise para colaborar com a inovação dentro de outras empresas. Entenda como esse processo se desenrola

Mais do que uma ferramenta utilizada para conhecer e identificar clientes, os dados têm sido utilizados pelas empresas como insumos estratégicos, capazes de influenciar vários tipos de tomadas de decisão. Prova disso é o resultado de um estudo da Experian: ele revela que 20% das empresas declaram estar no nível mais alto de gestão de dados.

Mas o que isso quer dizer? Seguindo os critérios da pesquisa, tais empresas contam com um Chief Data Officer (CDO) responsável pelos ativos de dados corporativos, têm o monitoramento da qualidade dos dados como uma operação padrão e possuem uma plataforma por meio da qual criam perfis, monitoram e visualizam dados. Ou seja, cuidam do tema como algo essencial.

Contudo, quando o assunto é o uso de dados orientado para a inovação, ainda há espaço para evoluir. Segundo Olivier Devaux, gerente sênior do Datalab da Serasa Experian, existem ainda empresas que não possuem ferramentas, sistemas ou pessoal preparados para essa missão – apesar de terem consciência da importância do tema. Algumas delas, inclusive, não sabem quais perguntas precisam responder por meio das informações coletadas.

Essa inexperiência é natural e pode ser solucionada por meio do apoio de outras empresas, como a própria Serasa Experian. “Temos como missão estimular o uso de dados voltado para a inovação”, explica o executivo. A companhia desenvolve projetos variados com esse objetivo, de acordo com a demanda e a necessidade da empresa-cliente. Na prática, usam uma metodologia que inclui a realização de workshops, a junção de dados da própria Serasa e da empresa cliente e, é claro, o apoio de experts em dados. “Essa é uma das formas que encontramos de ajudar empresas que têm dados e perguntas a serem respondidas, mas não sabem por onde começar”, conta.

Diante dessas circunstâncias, a Serasa Experian busca oferecer uma gama de serviços capaz de responder a vários tipos de demanda. “Se o cliente não tem dados, usamos os nossos para ter resultados significativos”, explica. “Se a necessidade é de pessoal especializado, usamos a nossa equipe”.

Todo esse processo acontece dentro do Datalab. O espaço, criado especialmente para pensar inovação, impactou inclusive a cultura da Serasa Experian. De acordo com o executivo, a visão da empresa se tornou menos tradicional após o desenvolvimento do espaço que, no dia a dia, provoca todas as unidades de negócio a pensar diferente. Afinal, como afirma Devaux, a inovação é responsabilidade de todos – e isso vale para todo o mercado.

Deixe uma resposta